Os Melhores Personagens Litérarios Masculinos

Eu sou a típica menina que, ao ler o livro, finge ser o personagem principal. O que me traz situações um tanto quanto complicadas, pelo simples motivo de me apaixonar pelo mocinho da história. Por este motivo, separei meus 10 principais crushes dos meus livros prediletos.

1. Michael Moscovitz – O Diário da Princesa, Meg Cabot

Com toda certeza, Michael Moscovitz, interpretado por Robert Schwartzman, foi meu primeiro amor. Desde criança, sempre fui apaixonada por nerds, músicos e olhos azuis. E aqui está a prova. Para ajudar, na vida real, Robert toca em uma banda chamada Rooney, o que faz minha admiração por ele aumentar cada vez mais, haha.

Na história, Micheal tenta conquistar o coração de Mia a cada dia, mas só no final que ela percebe que o ama também. Quem não se emociona na parte final do primeiro filme, quando ele diz “por que eu?”, e ela responde “porque você me viu até quando eu era invisível”? Eu quero um Michael para mim ):

 

2. Cricket Bell – Lola e o Garoto da Casa ao Lado, Stephanie Perks

A coisa que mais me faz amar Cricket são seus olhos azuis. Outra característica de Cricket é que ele não tem medo de demonstrar suas emoções. Durante todo o livro, ele não tem vergonha de demonstrar o que ele sente por Lola, além disso, ele é nerd/inventor que você se apaixona rapidinho. 

3. Augustus Waters – A Culpa é das Estrelas, John Green

Ah, por favor, quem, nessa face da Terra, não se apaixona por Augustus? Gus é completamente apaixonante, ele é carismático, muito adorável, bem humorado, sensível e irônico, Gus ganhou meu coração com essas últimas três características. Tem coisa melhor do que um garoto irônico que ao mesmo tempo é sensível? Tenho que admitir que nunca na minha vida chorei do jeito que fiz quando Gus morreu, foi realmente deprimente. 

4. Peeta Mellark – Jogos Vorazes, Suzanne Collins

Jogos Vorazes || via: tumblr

São por motivos óbvios que Peeta está nessa lista, além de fazer doces, ele é apaixonado pela mesma garota desde pequeno e tenta protegê-la a todo custo durante os Jogos, mesmo que isso signifique ele tenha que morrer. Sério, tenho vontade de morder de tão fofo que ele é. Bônus: ele é interpretado por Josh fucking Hutcherson

 

6. Charlie – As Vantagens de Ser Invisível, Stephen Chbosky

Untitled

Charlie é inocente. Essa é a provavelmente a característica mais marcante de Charlie durante o livro, além de sua inteligência. O que mais me identifico com Charlie é o grande amor por livros e, ele mesmo diz que tem um livro favorito até ler o próximo, o que também acontece muito comigo. Ele também é sensível e está começando a viver a vida agora: fazer amigos, lidar com uma namorada, sexo, drogas, entre outros fatores presente na vida dos jovens.

 

7. Ed Slaterton – Por Isso A Gente Acabou, Daniel Handler

Ok, ok. É muito errado eu colocar o Ed na lista dos melhores personagens masculinos, mas gente, eu realmente me apaixonei por ele. Eu acho que fiquei tão decepcionada quanto a Min com o término do namoro. Ed é o típico cara popular, e Min a típica garota alternativa pela qual ele se apaixona. E todas amam o Ed. A Min amou o Ed. Eu amei o Ed. E eu chorei muito quando eu descobri o que levou o fim deles dois.

8.  Leo Santiago – Fazendo Meu Filme, Paula Pimenta

O cara dos CDs. Esse é Leo Santiago, o cara dos CDs. Leo é muito fofo e sempre dá de presente para Fani CDs com músicas que ele usa para tentar fazer Fani entender que ele a ama. Leo ama tanto Fani que chega a abrir mão de estar perto dela pra ela poder realizar seu sonho, ele também é muito carismático e tem covinhas.

 

9. Ron Weasley – Harry Potter

The Butterflies Garden

Ei, ei, ei, ei, Weasley é o nosso rei. Apesar de eu não ser potterhead, Ron é maravilhoso. Fala sério, quem não adora o jeito medroso, guloso, engraçado e leal de Ron Weasley? E escolhi Ron porque morro de dar risada com ele, e simplesmente amo ele e a Hermione juntos.

 

10. Clay Jensen – Os 13 Porquês, Jay Asher

Clay não é exatamente um personagem que você sabe muita coisa, pois ele passa o livro inteiro escutando as fitas de Hannah e não revela muito sobre a sua vida, além de alguns momentos que estejam ligados a ela, o que permite ser visível que ele realmente gostava dela. Talvez seja isso que me faz me apaixonar muito pelo Clay, por ter a oportunidade de imaginar como ele é no dia-a-dia.

[BILLBOARD] RESENHA: Midnight Memories

One Direction iPhone 5 background. (Found on tumblr.)

Midnight Memories, terceiro álbum da maior boyband do mundo, segue o que foi melhor trabalhado no ano passado, o Take Me Home, e acrescenta novas ideias proficientes para manter os fãs ansiosos para a evolução da banda.

Em termos gerais, Midnight Memories não soa muito diferente dos anteriores, porém guitarras entram mais proeminentes nas músicas, sendo elas altas e elétricas, ou suaves e acústicas, ou das rápidas dedilhadas, lembrando muito Passenger. O One Direction prova mais uma vez que há mais Jonas Brothers do que Backstreet Boys em seu DNA de boyband, e considerando o maior papel no processo de composição, já que contribuiu com letras para 12 das 14 músicas, talvez a vibe de banda de rock será um tema ainda maior enquanto a banda cresce. Liricamente, os meninos continuam nos temas com classificação livre de amor jovem, corações partidos, e sair de noite.

Os dois primeiros álbuns do One Direction ficaram no topo da Billboard 200 em sua semana de estreia, os tornando o primeiro grupo britânico masculino desde os Beatles a realizar isso. Os primeiros dois singles do Midnight MemoriesBest Song Ever e Story Of My Life, aproveitaram picos no Top 10 nas paradas Hot 100, então há todas as indicações de que o álbum se sairá muito bem na temporada de festas de 2013.

Veja a seguir uma análise faixa por faixa no último lançamento de Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan e Zayn Malik.

1-      Best Song Ever

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=o_v9MY_FMcw]

Este é o tipo de música que você apenas sabe que será um hit na primeira vez em que a ouve. É claro, os primeiros singles passados – What Makes You Beautiful e Live While We’re Young– foram sucessos imediatos, então certamente havia um histórico ao seu lado. A forma em que as batidas do refrão de Best Song Ever combinam com as harmonias perfeitas do grupo fazem com que a música soe como as suas antecessoras.

2-      Story Of My Life

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=LmGwguhuVgQ]

Se Best Song Ever é a nova Live While We’re Young do ábum, esta música – o single mais suave e acústico – definitivamente é Little Things. Ed Sheeran não compôs esta, mas com certeza soa como tal, graças a composição e contribuição lírica de todos os membros da banda.

 

3-      Diana

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=Lg9whd05S7o]

Em uma música como esta, você pode ouvir o som do One Direction mudando cuidadosamente de um verdadeiro pop para um mais pop-rock. E foi bem comparado ao The Police, por conta dos versos. Em relação a produção, ela soa firmemente enraizada em um pop moderno, no entanto esta ainda é uma música que muitos pais de fãs do One Direction deveriam apreciar.

4-      Midnight Memories

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=6WVNdes0j0w]

Sempre houve uma influência rock na música do One Direction, mas ela realmente fica aparente na música que dá nome ao álbum. Ela começa com ótimos acordes de guitarra, levando a animado pré-refrão, e arrasa no refrão por trás de um riff que lembra Pour Sugar On Me do Def Leppard.

5-      You & I

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=aJTvFgw84ys]

“Not even the gods above can separate the two of us”, minha música favorita, e a primeira mais lenta do álbum.

6-      Don’t Forget Where You Belong

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=aSvudXpazRk]

Para cinco jovens adultos que estiveram tanto na estrada nos últimos anos, é fácil enxergar o porque de uma música como Don’t Forget Where You Belong apareceria no novo álbum. O sentimento ainda é jovial, apesar de não ser uma batida nem lenta nem rápida, uma música com um rock suave assim poderia conectar o One Direction com uma audiência mais madura. Essa faixa foi escrita por Dougie Poynter, Tom Fletcher e Niall Horan, e produzida por Danny Jones, três do McFly.

7-      Strong

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=RuIK2wCoy5A]

Esta é uma sincera música de amor, com batidas nem rápidas nem lentas, veia da música anterior Don’t Forget Where You Belong. Ela é o tipo de música que muitas boybands e rockeiros mais sutis já fizeram antes, e apesar disso ela não desaponta.

8-      Happily

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ooxpHMyyehw]

Quem não está tentando soar como o Mumford & Sons nestes últimos dias? Em Happily, os meninos cantam em uníssono para um enorme refrão sobre tentar ganhar alguém de volta. Independentemente da sua opinião sobre o Mumford, The Lumineers, e a influência deles, não há dúvidas de que esta é uma das músicas mais cativantes do álbum.

9-      Right Now

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=BruMHV4MkCc]

Esta soa como se pudesse ter sido uma das baladas do Maroon 5, mas o One Direction a realiza tão bem quando o Adam Levine poderia ter realizado. Na verdade, ela foi escrita com a ajuda de outro adulto contemporâneo, Ryan Tedder do One Republic. Enquanto o One Direction ainda está atraindo uma plateia adolescente, uma música com esta quebra o molde, soando como se pudesse ressoar com uma plateia bem mais velha.

10-   Little Black Dress

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=BypjLyTKSEk]

As guitarras fazem o seu triunfante retorno nesta, se reafirmando nos primeiros acordes com riffs que poderiam ter vindo de uma rádio do final dos anos 70. Esta foi gravada em um estúdio completamente ao vivo, e considerando o resultado, seria interessante ouvi-los explorar mais esta abordagem em álbuns futuros.

11-   Through The Dark

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=OLiDWQen1ZM]

Aqui está mais uma música com um som do Mumford, levada por rápidas batidas acústicas e uma rápida percussão. Não é tão memorável quanto Happily, mas é boa o suficiente para validar mais uma viagem ao território indie.

12-   Something Great

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=dMM1UnQZyjo]

Nesta música, o One Direction teve a ajuda de Gary Lightbody do Snow Patrol, que recentemente se apresentou ao vivo com Ed Sheeran e colaborou com Taylor Swift na música The Last Time do Red. E assim como naquela música, o produtor Jacknife Lee ajudou a compor no estúdio.

13-   Little White Lies

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=6noz9dBWqGo]

Uma exuberante entrada a capella anuncia a volta ao pop chiclete para adolescentes em Little White Lies. Esta não tem medo de se divertir com o sintetizador e a percussão computadorizada, cumprimentando as produções em boybands de Max Martin no final dos anos 90.

14-   Better Than Words

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=pakktsd6WHA]

A versão normal do Midnight Memories conclui-se com esta produzida música de pop rock a qual alega “I can’t explain your love/ It’s better than words”. A banda certamente melhorou as suas baladas desta vez, apesar deles encolherem fazerem o que fazem de melhor.